trekking

trekking

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Aracaju - SE


Aracaju já foi eleita como a cidade da capital da qualidade de vida, título esse que é o orgulho dos sergipanos e realmente, em partes, este título é merecido, pois se trata de uma cidade bastante organizada, muito limpa, um lugar onde praticamente não se vê mendigos na rua, nem favelas, nem pessoas pedindo ou vendendo coisas em ônibus como é bastante frequente em outras capitais, e ainda há uma rede de ciclovias bastante ampla. Na verdade ainda não conheci um lugar melhor para andar de bike dentro da cidade e não apenas em parques do que aqui. No entanto, a rede de transporte público, é quase um caos, mas se você estiver apenas passeando pela cidade talvez nem repare nisso..
Se você busca sossego, tranquilidade e uma cidade com cara de interior, mas com a comodidade de uma cidade grande este é o lugar.


                                              (Foto da Internet)

Arcos da Orla de Atalaia:

                                                       (Foto da Internet)


A Orla de Atalaia é o principal ponto turístico de Aracaju, neste entorno existe uma grande rede hoteleira (no entanto ainda infelizmente não há nenhum hostel/albergue), além de vários restaurantes, bares, e a Famosa Passarela do Caranguejo onde existe muitos bares que tocam Forró, o ritmo musical do local, e onde se encontra também, o famoso Caranguejo que caracteriza o prato mais típico da região.

Lagos Artificiais da Orla

                                                       (Foto da Internet)

Orla..

                                                      (Foto da Internet)                             
              
Mais Orla..

                                                        (Foto da Internet)

Orla a noite

                                                         (Foto da Internet)

Uma outra orla, não tão famosa como a Orla de Atalaia, é a Orla do Pôr do Sol no Mosqueiro. Esta orla é fluvial, e tem como cenário o Rio Vaza- Barris. Há ônibus que saem do Terminal Atalaia e que levam até este bonito lugar, que como o próprio nome diz, tem um pôr do sol. Não achei muito boa a infra-estrutura de restaurantes neste local, porque na verdade só vi um. Então na minha visão a parte alimentícia poderia ser mais explorada. Contudo é um lindo lugar para passear a tarde, ou então ir mais cedo e pegar uma lancha até Croa do Goré (falarei sobre isso em breve, custa R$15,00 por pessoa, valor pesquisado em abril de 2012, e é necessário ter um mínimo de 4 pessoas para sair, senão esse valor aumenta,  e assim sendo, a qualquer hora essa lancha pode sair).

Orla Pôr do Sol: 


















Em junho, no nordeste inteiro é comemorado o São João e os festejos juninos. Em Aracaju, durante quase um mês (junho) têm shows durante a noite, senão me engano, de terça a domingo, num espaço chamado Mercado, com várias bandas, não unicamente de forró. Já na Orla de Atalaia, durante esse mesmo período, você encontrará uma decoração de Festa de Junina com bandeirolas, uma vila do forró e shows e músicas no estilo arrasta pé. Participei em 2 anos, e senti falta de comida típica dos festejos juninos neste lugar, mas há pessoas que dizem que tem..

Vila do Forró na Orla de Atalaia  (2012).


Em 2012 é Comemorado o Centenário do Rei do Baião, Luiz Gongaza, então em vários lugares do nordeste se encontra algumas homenagens.

Pessoas dançando forró ao Ritmo do Pé de Serra:




Croa do Goré

Como disse acima, quando você chega na Orla Pôr do Sol no Mosqueiro, pode-se pegar uma lancha e ir até a Croa do Goré. Essa Croa é um areial onde no final da tarde a maré enche. Sem dúvidas um dos lugares que mais gostei de conhecer em Aracaju.


Caminho dentro da Lancha



A croa do antes da maré encher com os seus quiosques (de manhã)


A maré começando a encher ( a tarde)




A paisagem do local que é lindíssima!




Observações: Não é possível chegar a Croa sem ser de lancha ou um tipo de catamarã. Há muitas pessoas que vendem essa travessia na Orla Pôr do Sol. Quando fui paguei R$15,00 (por pessoa - ida e voltam, ). É preciso ter no mímino 4 pessoas para a lancha sair, na que fomos, cabia umas 10 pessoas. Tem apenas um quiosque flutuante no local, que vende água de coco, cerveja, refrigerante e alguns salgados. Que eu me lembro, não vende comida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário